terça-feira, 20 de maio de 2014

"VAGANTE"



procuro o caminho do infinito,
as vias que me levem ao veredito,
ao abraço quente e sórdido do destino, 
doido pra esfriar-me a vida.

sigo os raios do sol,
desvencilhando a escuridão,
mesmo no breu total das noites sem lua,
apego-me em absorver as estrelas.

candieiro celeste,veludo azul imenso
pirilampos piscantes suspensos,
clareia o pensar titubeante
enquanto rasgo insana jornada.

o céu,vastidão em abismo,
desliso meus olhos admirar,
andarilho a imaginar o infinito,
se não pernas,crio asas pra buscar.

Reginaldo

Nenhum comentário:

Postar um comentário