Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2013

Ficar dodói e ganhar presente de poeta..não tem preço

Imagem
Tomara finde com gosto, contra gosto do mês de Agosto essas dores. para enfim,  dar bem vinda as flores com seus odores  ...de primavera.


(José Reginaldo da Silva)....obrigada!


Imagem cedida por minha amiga Zuila Pereira do Maranhão.

"CONTEMPLAÇÃO"

Imagem
Esta tarde dourada  que me foge aos poucos, forçada a sair de cena, empurrada pela noite  que chega sem pedir licença.
Suspiro os últimos raios de crepúsculo, com a boca salivando o cheiro de eucalipto.
foi... 
Embora a tarde mais cedo! A Noite tem pressa em se mostrar, traz a lua cheia a tira colo  e umas poucas estrelas a brilhar.
O Ciclo é dinâmico,  ai da noite se atrasar, Vem logo a madrugada batendo a porta, Limpando o caminho para o astro rei.
Sol que traz o dia... Que clareia a areia clara, Na beirada da baia.
Amanhece...
Canta pássaros, passa o tempo, passa eu, passa você, passa tudo que se vê.
Passa o dia ,as fantasias, fica o sonho e a poesia sem alarde, que só queria exaltar um fim de tarde.
Imagem
"TENHO AS MÃOS"
Meus sentidos já não tenho todos; Vendaram meus olhos, taparam-me os ouvidos... Restou apenas sentir,  seu cheiro impregnado, gritar seu nome ao vento, tatiar seu corpo com as mãos. Seu coração fica no lado esquerdo do mundo, onde nasce o contrário , o avesso do que sinto por ti. Sinto como eu  todo mundo, esse mal é comum. Compartilho limitações. Vejo sua beleza refletida no toque suave dos dedos, na sutileza do apalpar. Ainda tenho as mãos, ainda posso pegar, olhos pra que te quero se consigo te imaginar.

"DO OUTRO LADO"

HOJE ACORDEI,PERCEBI... NÃO ESTAVA AQUI. TUDO ERA COMO ONTEM... SÓ EU NÃO ESTAVA AQUI. A CAMA DESARRUMADA... DENUNCIAVA ,EU ESTIVE ALI. SONHO DOIDO,DIA CLARO... EU NÃO ESTAVA ALI. NAQUELA FOTO DA ESTANTE... EU NÃO ESTAVA LA. MINHA POLTRONA DA SALA... AINDA ESTAVA QUENTE. ALI TEVE SENTADO GENTE. FORCEI PRA ENTENDER INÚTIL. NÃO CONSEGUI ... NÃO ESTAVA ALI UM APARENTE ESPANTO  CERCAVA OS MEUS... UM MISTO DE APREENSÃO. TRISTEZA ,DESOLAÇÃO... NÃO PERCEBI,NÃO ACORDEI... NÃO ESTAVA ALI... FUI ALÉM DO PERMITIDO, PERDI O CAMINHO ,NÃO VOLTEI. AGORA VAGO... NO LIMBO,ESTOU AQUI... ACHO QUE MORRI... NÃO PERCEBI. SEI QUE ESTOU AQUI!

FUGA

A poesia ,foi a forma
que alguns encontraram
para dar vazão aos seus
anseios mais absurdos,
suas fantasias surreais.

É a loucura expressa
de maneira lírica,
Onde aflora a sensibilidade .

Diante ao sisudo e truculento
mundo real.

Uma viagem ao avesso,
uma fuga.

Uma insólita convergência,
entre o real e o abstrato.

Pintando a vida com cores
menos fria,menos cinzenta...

"Primavera no outono!"

"RITUAL"

DESEJO,VOLÚPIA,PERDIÇÃO... EXORCIZO NUM RITUAL DE LIBERTAÇÃO.
MAIS MANTENHO A REPUTAÇÃO, IMAGEM PURA ,CASTA,VIRGEM... QUANDO ME PEGO EM MEDITAÇÃO.
PRECISO DESTES POLOS, PARA EQUILÍBRIO,BALANÇO,FLUTUAÇÃO. PARA DESOCULTAR OS "EUS",  QUE HABITA EM MIM.
ASSIM VOU SEGUINDO, LIBERTANDO E ENCLAUSURANDO, O POUCO DE SANTO E O MUITO DE PROFANO...
ME REVELANDO.

"ALAGADO"

Dia claro,céu azul ... tempestade se formou do nada. Não estava preparado, admirando as cores do dia... Chegou... Desconstruiu. Dizimou. Temporal acabou... Vida  Luz Trevas. Fui pra outro canto, não quero mais admirar as cores, agora tudo é uma pintura a base de água. Alagado. Minha aquarela ... Descoloriu!
Ouço vozes no silencio,
que se faz ouvir.
Na noite que cai,com o sono que vem...

Me derruba!

Na horizontal visão do mundo,
que não vejo no escuro,
fecho os olhos para ver
o que ha alem do meu quarto.

Vou de encontro,
ao meu consciente
ao adormecer.

Dou asas ao meus anseios,
desbravando o inexplorado,
ainda assustado com minha lucidez .

Esta viagem insólita,
tem tempo e hora pro fim
paradoxalmente
termina ao despertar.

Do abstrato,
do sonho e fantasia,
só me restou a realidade .

O dia a dia.

Sigo com os olhos abertos
com o dia claro,
mais desejoso da noite.

Estou começando
a gostar do escuro,
onde tudo fica mais...

Escancarado.


"MATURAÇÃO"

Agora tens...
Corpo,alma,forma e sentido,
é chegada a hora.

Rompes com a inércia
incubadora do seu tempo...

Ainda em tempo,liberta-se,livra-se
e desprende-se da casca. 
Madura ,pura, completa.

Tens pernas ,braços e
asas pra voar...

Mais seu destino não é o céu
e sim o mar.
Então se liquefaz...

Pronta,
Revela-te Inteira.

Reginaldo

"QUANTOS SOU?"

Quantos "Eu" habita em mim? que punhado de fragmentos sou? porque tem que ser assim?
Quantas mascaras ainda vou usar para ser  ou tentar passar?
Levanto com um ar de completude, que vai se esfacelando no decorrer dos dia. dividindo -me em vários, assumo meus demônios.
Rebelde ,pai,marido,poeta,profissional... tudo dito normal. Multifacetado em diversos com verso e reverso, direito e esquerdo, em contrários .
Quando chega enfim ,o fim... Junto tudo de novo, Novo repartir,espalhar  os "EU" que que não cabe em mim.
Desconstrução de um ser fragmentado,
único...





"DESEJO QUE SEJA"

Que seja completo, repleto... Que tenha parede e teto, sem arquiteto... Que seja calmo, como mar quebrando na areia... Tranquilo qual passo de tartaruga, sorrateiro como cobra, que tenha reflexo de águia, a destreza de um leão, que seja dócil como cão domestico. Voraz e fugaz, como fumaça e balão de gaz... Leve. Como olhos que observa meu caminhar, Absorva tudo... Que tenha a sutileza do dia , ao despedir da madrugada. Como uma imutável rotina... Que descortina a cada dia igualmente diferente. Que seja pra sempre até agora, ou daqui a uma hora . Que seja o futuro... Resquício do pretérito, presente aqui. Que seja assim, hoje e além... Amém.


"ALÉM DA JANELA"

rosas vermelhas,
pássaro azul, galhos verdes, borboletas multicores...
Visão do paraíso, além da minha janela, com o sorriso do sol mira em mim.
Natureza do simples, simplesmente natural. tudo pulsa o tempo todo
Abro os olhos para ver, tudo sempre esteve ali, como nunca percebi?
Nunca olhei dentro de mim... Agora sim...
descobri "A" vida , meu jardim.

"SIMPLES ASSIM!"

Buscar na singularidade o pluralismo, ser na singeleza múltiplos.
Para ser só um  em face as várias situações  que a vida nos coloca.
Assim maleável,moldável,se adequar...
Sem jamais desvirtuar, perder a essência.
Ser nesta multiplicidade, essencialmente "EU"
Reginaldo

"CONFLITO"

O QUE ME CALA, NÃO É O QUE CALA EM MIM. GRITAREI AOS QUATRO CANTOS, A DOR QUE UM DIA SENTI.
TIRAR DO SILENCIO O BARULHO PRA INCOMODAR, IMPOSIÇÕES ,POSIÇÕES, O QUE ME FURTAR.
FILOSOFIA NÃO ME DEU FELICIDADE, NÃO ME TROUXE A VERDADE, MAIS ABRIU O CAMINHO, ME FEZ PENSAR,INDAGAR...
BUSCAR!
NÃO VOU MUDAR O MUNDO, NÃO QUERO MUDAR...
ACEITO-ME!
ASIM VOU ANDANDO, CAINDO E LEVANTANDO MINHA BANDEIRA BRANCA.
DECLARO ENCERRADO O CONFLITO EXTERNO, COM O INTERIOR FERVILHANDO EM BATALHA.
ACALMAREI UM DIA,SIM UM DIA...
CALMARIA. 
     Reginaldo

"PARADOXO"

Sob o olhar do tempo que me vigia, observo de dentro ,a beleza vazia, que matura o pensamento.
Em campo estio, solitário e vasto... Plantaram-me!
Semeado no outono, sob vento e brisa leve, a cabeça se perdeu.
Perambula , agora sem rumo um corpo... Sem espirito,sem alma e sem vida.
Paradoxo... Deixaram livre o corpo, aprisionaram os pensamentos.
Hoje ,sou uma lapide de vigia o olhar do tempo, encarcerado meia verdade, assim, meio morto. 

"JAMAIS RECLAME DAS PEDRAS DO CAMINHO,
ELAS PODERÃO SERVIR PARA SUA FORTALEZA"

                                    Reginaldo

"TENTANDO"

Neste pequeno universo
em que me enquadro,
neste emaranhado de disparidades,
encontro meu mundo.

Um circulo com quina.

Tento me equilibrar no tempo,
que tenta me derrubar.

Assim,vou caminhando,
na sombra do que me consome.

Tentando ser gente,
no meio dos homens.

                                                             Reginaldo

"PACTO DAS BORBOLETAS"

Queria ser...
Como as borboletas, para voar ao sabor dos ventos. Levando em suas asas as cores dos jardins.
Adornos da natureza, olhos alados, espalhadores da beleza.
Pactuar com as rosas. levar sua essência para alem daqui.

"ECOS DO SILENCIO"

"ECOS DO SILENCIO"

"Gosto do silencio...
Das palavras mudas,

que não dizem nada ao ouvido,


mas faz sentido ao coração.
Gosto do vazio,

do nada,

da imensidão de coisa nenhuma.
Só assim ouço o eco,

do que faz sentido a alma."

"TEMPO FECHADO"

Imagem
"TEMPO FECHADO"
Entre os mundos  que me encontro, me perdi no limbo dos pensamentos. Estou nu,só,abandonado em vazios.
Meus pensamentos não se encontram, crio outro mundo de faz de conta, pra ver se acho a saída,do tempo que se fechou por fora.
Imagino um rosário de aberturas, que desprendem da ilusão, num varal de opções. Rota de fuga.
Chaves que abrem, portas inexistentes, mundo fechado, mas não abri minha mente! Infelizmente...!
A Luz que timidamente se oferece na penumbra, entra pelo buraco da chave da porta de entrada. Buscando luz aprisionada dentro do "EU".
A Chave que liberta, o tempo fechado. Enche de luz o  vazio que há em mim.

"FORA DE SÉRIE"

Alcunha que supunha, fosse ofensa. Vou deixar de desavença, aceitar o adjetivo, mesmo que subjetivo, por um único motivo, o objetivo.
foi agradar...
Sou mesmo "fora de série" fora do contesto, do texto e da poesia.
Mais ,sigo meus dias inspirando o alheio, viajando em devaneios, as vezes falando bem do que não conheço.
Pois o novo não me fascina,  reciclo idéias,atrás dos ideais. Um "fora de serie"atual
Reagindo e reatando velhos conceitos, tentando dar ao mundo um conceito,um concerto.
Como gotas de orvalho, que descem serena e suave, mais faz o seu trabalho.
Silenciosa mais sem embaralho.

meu caro amigo Renato Carvalho.

"FUGINDO DE MIM"

Imagem
Vou sendo, me contorcendo, tudo acontecendo...
Me acendo e aceno, rumo ao meu interior. Mergulho na inquietude que já não cabe em mim.
Agora  parte de mim,vou pari... Vou dar a luz que me falta, neste casulo sombrio,  buscar a clareza essencial .
Nesta disparidade, vou me desconstruir, daquilo que nunca foi concluído, inacabado,incompleto,imperfeito...
"Eu"
"OBSCURESSENCIA"

O que aconteceu ,com a canção do vento?
Que estava em todo canto,em todo tempo.
Porque emudeceu?

O que ouve com as madrugadas?
Sempre bem regadas à vinho tinto e poesia.
Amanheceu?

O Que foi feito de mim,
porque não me encontro aqui?
Será que findou o meu "Eu"?

Não sei...
Não ouço...
Não sou.

Acho que já fui!
Em outras eras...
Morreu a suavidade,
embruteceu!

Na luz vê-se a fera,
que os olhos temem,
no outro lado da esfera.

A Sombra oculta...
A Luz revela,
Paralelos de um
ser atormentado,


                               Reginaldo