terça-feira, 6 de maio de 2014

"CACHIMBO"


Do fumo
a fumaça sem rumo
do fundo da boca
ganha o vento,
o tempo e voa.

Povoa o espaço
volta pra dentro
do olho e arde,
cai em forma de choro,
escorre sem alarde.

Tudo é só vapor
alivio,dor e clamor,
nas cachimbadas
ao por do sol.

Em nuvens viajantes
o branco da alma alça voo, 
leve e solta,
livre aroma doce
acalma como se fosse
eu próprio a voar.  


Reginaldo

Nenhum comentário:

Postar um comentário