terça-feira, 27 de maio de 2014

"DISSEMINANDO"



O tempo incisivo e dissimulado,
passa com a secura das horas,
tentando me roubar as defesas,
impondo sua verdade.

Nos dias que amanhecem,
loucos pelo anoitecer,
mostro todas as faces a que me prendo,
anjo dormente e dócil ou peçonha letal.

A mais intrigante das mascaras de uso,
não são as dos sonhos vãos,
mas a real,pela qual destilo meu fel,
trajado de veste pura,ocultos em véu.

Com ela me pego,maquiando o engodo,
deixando o belo evidente,
disseminando aparências fúteis,
tentando ocultar a dor de Narciso. 

Reginaldo

Nenhum comentário:

Postar um comentário