domingo, 15 de setembro de 2013

"LIVRAMENTO"


Vou em frente,tenho aliados.
minha adaga é a caneta
o papel meu confidente.

Ele aceita de bom grado,
o escorregar da emoção,
deixa tudo registrado
o que vem do coração.

Depois abre pra todos
segredos de nós dois
os de antes ,os depois.

Pois o que oculta
e o que aparece
pouco importa
quando as palavras 
batem á porta.

Confesso pra ti meus desacertos,
confidencio meus íntimos desejos ,
ai quando me esvazio ,te vejo cheio 
daquilo que me esparramou.

Relicário de mim mesmo,
quase um sacro rosário!
Entre devoto e devoção.

Uma adaga que não fere,
um papel branco como talco,
esperando ser o palco 
de mais uma apresentação.

Traço linhas sem lamento
espero contentamento
nesta minha dissertação.

Encontro de certa forma,
alivio pra meus tormentos,
banho pra alma,sossego...
Livramento


                                                                          Reginaldo

Nenhum comentário:

Postar um comentário