sexta-feira, 13 de setembro de 2013

"amargurado"



Estou em busca deste encontro,
depois da amargura,
com um pedido de desculpas,
e um buquê de rosa única,
vermelho vivo de sangue.
Que despetala a medida que avanço,
o vento leva até a ti,
estou aqui na porta e bato,
porque não abres pra mim?
Meu caminho é o mar,
o pé descalço ,a água fria
que toca meu corpo ,
que arrepia!
Essa vastidão  inerte...
Esse encontro não vai rolar,
estou aqui só...
Só pra lembrar,
de não esquecer,
O que o mar me impediu de amar.
O que  a brisa trouxe aos meus braços,
esse MAR  se apoderou,levou...
deixando neste peito,
um coração saudoso,
de amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário