quarta-feira, 18 de setembro de 2013

"Constatação"

Colho entre as pedras do caminho,
semeadura de outra estação,
na rispidez de um solo morto,
brotamento,beleza,oração.
Virgem em terra,desenterra,
nesta terra virgem
o cheiro da desolação.
O cheiro dissipa com o vento,
vem aos olhos a visão,
claro como cristal,
este solo não ta morto...!
Constatação!
Até aquela arvore seca tem alma,
Sinto no toque das mãos.
Esta encubada,escondida do homem,
Esperando as lagrimas,
o pedido de perdão.
Molhada com o choro
do arrependimento,
espera a liberdade
em brotos verdes vivos...
neste verão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário