domingo, 15 de setembro de 2013

"JANELA DO TEMPO"


Um sopro,
Uma brisa mansa,
Um vento leve...

trouxe 
o dia,
o sol 
a luz 
a alegria...

Abre-se as cortinas,
as janelas pro tempo,
clareza sem par. 

Tudo é beleza,
encantamento,
o azul do firmamento,
as águas que correm lentas,
os pássaros em revoada,
o carinho na amada...

Vida!

Verde de montanha,
verte em profusão,
fonte imutável,
desta minha inspiração.

Suave serenar, 
tímido olhar,
faltam palavras, 
sobram deslumbramento! 
Natural como florir,
os jardins na primavera,
as cores que me vem,
traz vida...Alento!

Assim...
Como um sopro,
Uma brisa mansa,
Um vento leve...
Arrebata-me...
acalma-se...

Por um instante breve,
esta alma que ferve!



                                            Jose Reginaldo em  parceria com Zuila Pereira


                            (Inspirado no bate papo com Zuila Pereira e o poeta Domingos Barroso ,
                            Imagem que ilustra esse poema foi gentilmente fornecida por Zuila pereira)

Um comentário:

  1. Poema e imagem belíssimos! Muito bem desenvolvido! Adorei!

    Laryssa

    ResponderExcluir