terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

"PRECE"



Senhor...
Moro na roça,
numa choça de sapé,
meu prazer é ver a chuva,
molhando o sossego,
alagando a alma
e transbordando aos olhos.

Afogando as palavras,
que gratas não dizem nada
estupefatas de satisfação.

Tempo quente,
sol ardente,
incomoda a gente.

A chuva em suma
é o choro do tempo,
tem dó de mim
e de minha gente,
que não sabe o segredo da dança,
por isso ora,ora...

Por horas e horas!

Reginaldo

Nenhum comentário:

Postar um comentário