terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

"NEM BALSAMO,NEM POÇÃO,NEM FEITIÇARIA...SÓ POESIA"



Nesta vida em que passo,
aos trancos,barrancos e tropeços,
inverto o sentido de tudo,
em versos dos meus avessos.

Sou todo contravenção,
vento do desequilíbrio,
meu rumo nunca é certo
e sempre na contra-mão!

Meu trabalho é meu fardo,
minha angustia é meu sustento,
meu silêncio é meu grito mais forte
a Poesia é meu Unguento.

Aqui sou leve e suave
como brisa de fim de tarde,
que poliniza o jardim
onde brota felicidade.

Felicidade que foge as vezes,
por não encontrar guarida,
mas na primeira deixa
abraça,aperta Faminta!

Estou feliz quando escrevo
alma sempre repleta,
as palavras jorram a Lira,
sou feliz..Sou Poeta!

Escrevo muito...Então concluo,
se estou feliz quando escrevo,
sou feliz o tempo todo,ficar triste...
Nem me atrevo!!!


Reginaldo

Nenhum comentário:

Postar um comentário