segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

"DEPOIS DAS RETICÊNCIAS"


Quero um naco do teu silêncio,
que habita o meu redor,
tua sombra sempre presente,
que nunca me deixa só.

Na soleira da janela,
pra depois dos vidros claros,
ainda resisti teu reflexo,
minha saudade,meu amparo.

Quero um poema,
que não cause dor,nem trema,
ante aos calafrios e arrepios
de palavras amenas!

Poema que extrema em
externar alguns tabus,
outros dilemas.

Um poema de suavidade,
sombra da boa idade,
colhida no jardim dos tempos.

Um que valha a pena,
discorrer sobre o papel
como pouso de pétalas
sobre o colo do chão.

Um que agregue,
os amigos distantes
em rumos distintos
no piscar de um instante.

Um poema de verdade,
que não tenha maldade,
um poema de emoção,
exprimindo saudade.

Não consigo,Eu penso
eu passo,
Não quero um poema...
só queria teu abraço!

Reginaldo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário