sábado, 1 de março de 2014

"NÃO VOU DIZER..."


Não vou dizer que o amor morreu.
não,não eu.

Quem poderia afirmar tamanha leviandade?

Adormeceu,
é verdade,
dopado pela velocidade
maluca da tecnologia.

Sucumbiu
num sono profundo,
em coma induzido
monitorado.

Vez e outra  nota-se vivo.
Num sorriso,
ao olhar para uma flor,
no beijo apaixonado,
no abraço apertado.

Volta a letargia,
em sono,
baixa a euforia 
e dorme
profundo
no peito do mundo.


Reginaldo

Nenhum comentário:

Postar um comentário