sexta-feira, 21 de março de 2014

"DESCARTÁVEL"




Somos de fato breves e passando,
e quando houver a segregação do corpo físico,
que virá ser chão,solo ,
um composto puro e simplesmente...

A alma, esta, 
livre das dores deste mundo,
com certeza voará,
ganhará o céu,
olhos além.

Sua salvação se dará
por saber que contribuiu em nada,
no ciclo vigente.

Não alterou nem sequer 
o despertar da primavera,
que a realidade
não precisa de você pra acontecer!

Que a terra sobre encerra,
enterra toda prepotência,
petulância,superioridade e arrogância.

Que morto sois útil,menos fútil,
que voltando ao pó,
pode voar no vento.

Pode estar presente no presente,
no jardim adjacente,na água corrente,
na flor nascente.

Pode estar aqui sem ser,
inserido num contesto onipresente,
reciclado... 

Pois o corpo não é teu,
só a ilusão de telo lhe pertence,
por isso se conduz,involuntariamente.

Matéria e luz.



Reginaldo

(Baseado em uma reflexão de Silvana Mendes)
Imagem coletada da internet.


Nenhum comentário:

Postar um comentário