quarta-feira, 26 de março de 2014

"FALTA DE AR"




Esta rotina que te engole a seco,
cortina de fumaça,
que as vezes embaça 
e lacrimejam os olhos.

Esta que traz frequentes pesadelos,
que te toma os dias,
que te roubam a calma,
que repele tudo,
que gira teu mundo entorno da mesmice. 

Imutável cotidiano,
inferno que você disfarça,
adorna com sorriso no rosto,
ora amando,noutrora odiando.

Este caos do faz de conta,
onde a felicidade apronta,
e te puxa o tapete,
desaparece no instante,
que você desejaria eternidade.

Fica a lembrança,
perseverar na desesperança,
idos doidos e vividos,
no labirinto recolhido da recordação.

Vão seus dias,no vão dos dias,
dos dedos das mãos,
fazendo do agora saudade,
pousado na areia desértica desejando o oásis.

Agonia que alforria,
tempestade passageira,
sofrer e decantação,
buscar na ventania arredia,
saída,fuga,poesia...Libertação!


Reginaldo

Nenhum comentário:

Postar um comentário