domingo, 23 de março de 2014

"FEITIÇO DA SAUDADE"




Vento forasteiro,
amigo do tempo destino,
enfeitiçou seu amor,
fez do sonho desatino.

Hoje vê com encanto 
o pousar da mariposa,
na fragilidade da asas
seu amor ali repousa.

A beleza,o toque e a sutileza,
um jardim sobre a cabeça,
lembra do amor passado 
nas veredas das tardes violetas.

Pressente o tacar da saudade,
no suave voo da borboleta,
na imagem que dissipam dos olhos,
que eternizam facetas.

Despertam a cada voo,
a cada bater de asas,
surra mais um coração e
alimenta uma esperança.

Voltar ser ninfa num casulo de seda,
entre o jardim e a sarjeta,
retroceder o processo,
só pra ser sua borboleta.



Reginaldo

Nenhum comentário:

Postar um comentário