segunda-feira, 21 de julho de 2014

"EXTREMOS"


As palavras molham
os olhos secos
de observar distancias.

O coração espalha
sentimentos de proximidade
mesmo com a secura dos olhos.

De repente um chafariz
de águas somadas
se funde em fonte viva.

Só de saber -se eco,
de palavras soltas ao vento
na busca incessante do muro.

Da resposta que vem de la´
de depois de algum lugar,
de sentir o braço.

Acolher e colher da semente
semeadas no estio dos dias vazios,
cheios de poesia.

Reginaldo

Nenhum comentário:

Postar um comentário