terça-feira, 1 de julho de 2014

"DESAVOAR"



Dês-voa no infinito
desejos alados.

Outonos úmidos
carentes de folhas secas e vento.


Sobrevoava espaços vazios,
sentia não te encontrar.

O ócio se faz repleto,
de silencio,ausência e solidão.

Primavera sem cor,
sem flor.

Verão sem calor,
sem teu olhar abrasador.

O amor nesta estação,
hibernou pra os seres do ar.

Recolhe as asas,
não é tempo pra voar,esta frio lá fora.

Em meio ao inferno,
que fervilha em seu peito...É inverno!

Podes tocar o chão!

                                                                                                                                       Reginaldo

Nenhum comentário:

Postar um comentário