segunda-feira, 21 de julho de 2014

"BATALHA INSÓLITA"

O que faço com essa guerra,
com essa batalha infindável,
onde a desilusão armada
avança o front querendo brigar?

Como reage um coração surrado
encarcerado em trincheiras,
medroso ,arredio
querendo paz e amor pra se abrigar?

Perdido no campo de guerra
jogado aos abutres
ferindo e sangrando
em meio ao caos?

Não sei...

Melhor não baixar a guarda!




Nenhum comentário:

Postar um comentário