domingo, 29 de junho de 2014

"PRETO E BRANCO"



Perdido no tempo,
meio sem chão,
pensamentos negros
transcendem a luz da lógica.

Não tem força,
a depressão abraça com gana,
impõe seus desejos. 
Pinta um quadro sem cor,
um Monet desfigurado.

Um jardim em preto e branco
como a foto do porta retrato.

Os dias são noites longas,
a noite eterno abismo,
o destino com sarcasmo 
ironiza teu sorriso.

O choro é alma em fuga,
deste corpo em desalinho,
tudo é frio e deserto,
cactos,areias e espinhos.

Por não achar a saída,
encasulado e semente,
se planta no primeiro buraco,
que tem a frente.

Finda os pesadelos
encostou na contra mão,
mergulhou com os seus medos
em busca da redenção.

Reginaldo

Nenhum comentário:

Postar um comentário