sábado, 22 de fevereiro de 2014

"VELAMENTO"


Dorme meu amor,
descansa ao alcance dos sonhos,
no inconsciente adormece,
vestida em prece,
exorciza meus demônios.

Faz dos meus braços
teu quelônio,
seu porto,
um por do sol tamanho.

Eu,
estranho,
na claridade da noite,
que virá ser dia escuro,
realidade vital,
da mais pura fantasia.

Quisera despertar contigo,
caminhando comigo
nos campos verdes orvalhados
pelo choro da madrugada.

Delírio meu...

Lá fora o sol aquarela,
invade a realidade,
pela fresta da janela.

Amara teu sono,
velara teu sonho,
tenho o dia nos olhos...

Pesadelo ..Suponho!

Reginaldo

Nenhum comentário:

Postar um comentário