sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

"PRETÉRITO"



O Tempo que me escassa,
nos excessivos excessos,
onde excedo aos passos ...
Passa. 


Tão ligeiro como água corrente,
que independentemente do que
encontra pela frente...
Passa.

Rompendo caminhos,
abrindo horizontes em novo alvorecer,
vem com o dia clareando...
Passando.

Pensamentos,planos, sonhos,
se não reais,utópicos mais...
Passam.

Eu passo ,tu passas,ele passa,
todos hão de passar,
por que até o tempo verbal...
Passa.

O tempo que me escasseia,
me pousará na saudade,
serei Pretérito!

Passei...!


Reginaldo

Um comentário:

  1. Que beleza, Reginaldo. O tempo é sempre um tormento poético e você soube retratar isso de uma forma muito inspirada. A cada poema seu, uma alegria minha. Porque se um dia você duvidou de que era poeta, já não como duvidar. Aplausos!
    Beijos,

    ResponderExcluir