quinta-feira, 4 de junho de 2015

"SEQUENCIA"




O dia amanhece perfeito,
o sol invade a vidraça,
o quarto e o leito...

Vazio seu peito se enche,
com a viva luz do dia,
o real é sonho e utopia...

O corpo se veste de alma,
se poe a caminho
no compasso da calma.

Segue o curso,desdormece,
abandona a morte da noite,
abraça a incerteza,em prece...

Passos firmes,
olhos viçantes de brilho,
o plural é singular e estio.

Simples como abrir os olhos
para agradecer a volta,
da alma a lacuna...

Anda de novo no arame,
na inconstância dos rastros,
até que a noite derrame
sobre ele o insone cansaço!

Vai marcando o passo
ao passo que vai marcado...
Ficando  no passado!

Reginaldo

Nenhum comentário:

Postar um comentário