terça-feira, 23 de junho de 2015

"REABITAR"



Abissal,absolto,pênsil,solto,
pássaro ermo,
deserto imerso,voo torto...

Misto de sanidade,
na vastidão de um corpo...
Louco!

Não encontrou a paz,
onde guerra se faz
nos ponteiros da horas!

Encontrou consigo,
a beira do abismo,
ansioso de fim.

Vestiu-se de asas,
sabendo do chão
e pulou...

Voou sobre os vales,
sobre as incertezas,
plainou sobre as águas.

observou as cascatas,
os jardins primaveris,
as flores de estação.

o trem cortando a colina,
voou,voou,além dos olhos,
buscou ficar longe tão perto de tudo!

Pois o abismo era seu próprio peito,
ignorar seus preceitos
pra viver futilidades.

Entrou então por traz dos olhos,
em turbulento voou interior,
se assustou com as erosões...

Com os buracos,
com os ecos
e os vazios de si.

Pousou perto da encosta,
resolveu habitar seu deserto,
semear e renascer...

Reginaldo

Nenhum comentário:

Postar um comentário