segunda-feira, 22 de junho de 2015

"OLHOS FECHADOS"




O Poeta não olha a lua...
Ele a traz em si,
com a utopia da claridade!

Desfaz-se das gaiolas,
nem liberta os passarinhos,
sabendo-o,
próprio voo fora das asas!

O Poeta incendeia o seu entorno,
com calor dos teus silêncios,
Percebe-se nas minúcias,
Do tempo e no espaço.

O Poeta está preso a seus limites,
Cercado de finitudes,
enquanto saboreia a eternidade
de uma existência fugaz!

Seus jardins são desertos,
de voos e cores,um mundo fantasioso,
onde cultiva trovões e barulhos mudos!

O Poeta é um dissimulado,
um Ator-mentado fora do palco da realidade,
que vive de olhos fechados...

A procura da poesia!

Reginaldo

Nenhum comentário:

Postar um comentário