terça-feira, 23 de junho de 2015

"IN-CONFIDENTES"



Escrevo,
porque não me cabe o silêncio,
E moinho de vento parado é falta...

Tenho abastado dentro dos olhos temporais,
vez por outra varrem folhas  secas do chão...

Escrevo porque a boca se cala,
quando grita os olhos
e as mãos conseguem tocar a sensibilidade.

Escrevo por que a oratória me foge,
e o papel é leito manso e confidente,
e não espalha meus absurdos!

Reginaldo

Nenhum comentário:

Postar um comentário