segunda-feira, 22 de junho de 2015

"ESCURO"







Não tenho medo do que não vejo,
do que sinto e prevejo,
percebo,noto,rastejo,
sozinho ou em cortejo...

estou sempre só!
nesta solidão desencano,
abraço-me, aqueço-me,
sinto-me protejido,
pelo que me é essencial ...

minha Paz de espirito!
escrevo no branco do dia
no diário rasurado,
as mazelas do cotidiano,
vou como manso regato,
desviando das pedras...

ao encontro do mar!
sereno,calmo,
desso o rochedo dos olhos,
adentro veredas afins,
margeadas de flores,
da solidão do meu Eu...

avanço!
vou semeando meu caminho,
colho estradas de chão,
jornadas e abismos meus,
não fujo,nem corro,
não peço socorro,
nem morro antes da hora...

no escuro...apenas sussurro!

Reginaldo

Nenhum comentário:

Postar um comentário