terça-feira, 12 de maio de 2015

"OUTRO LUGAR"












O Poeta inventa de voar,
dá-se asas,apodera-se do Céu,
e vai rumo ao Sol com asas de cera!

Lá de cima vê quão grande é seus desertos,
é tempo seco nos Prados de Adélia,
tem pedras e só,nos campos amarelos!

Drummond avisara das Pedras,
que haveria no caminho,
cego,não vislumbrei e caí!

Apesar da pia cheia de louça suja,
lembrando-me da noite de ontem,
fui dormi com minhas sujeiras!

Uma pagina em branco,
nem rascunho quis fazer,
mas ainda espero a chuva...

Com essa ardência no peito,
sigo rompendo meus desertos,
semeando na areia estéril.

Vou colher flores e pão,
a caneta rabisca o chão
onde cravo meus passos...

Entro no coletivo,
cara,crachá,uniforme tudo igual,
entro no esquema de corpo,sem alma!

Esta está voando...
Para um inferno mais calmo,
cansada de ventanias!

Reginaldo

Nenhum comentário:

Postar um comentário