terça-feira, 15 de outubro de 2013

"VOO LIVRE"




Voou...

Pela fresta da janela,
que se abria para serra,
viu a mata virgem intacta,
a cascata que despenca,
as encostas,
as avencas.

O Aroma sentiu vivo,
o cheiro úmido de pinho,
que chegava com a brisa
suave as narinas.

Janela da alma,
lhe saltou aos olhos,
não resistiu,se entregou,
ao voo livre,
ao sonhar,
pra nunca mais acordar!

Foi ver o mar alem da cordilheira,
esse que roubava furtivo 
o verde da mata,
que ora molha os olhos
de quem ficou,
num pranto saudoso de "Adeus".

O Destino o conduziu,
para um voo perene,
não tem mais chuva,nem frio,
estais liberto na vastidão do estio.

Agora em outro plano recita,
nada lhe é estranho,
sois por hora o próprio sonho,
meu caro amigo...
Wilson Caritta.

                        (Com o coração apertado,espremi essas palavras a ti,fica com Deus Poeta!) 

                                                                Reginaldo 15/10/2013 

Um comentário:

  1. Belas palavras, poeta! Vibração que não mede distâncias e Lá chegaram...

    Beijos,

    ResponderExcluir