quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

"oscilante"


Quando pesam as asas,
pousa,
cede a tentação,
depõem-se do voo,
do sonho,
viste-se dos seus demônios,
desdenha do céu,
rasteja no chão!

Agora serpenteia,
fogo,brasa,paixão!
Flutua no limbo
do sagrado e da
profanação,
este corpo máscara,
anjo torto,caído,
salvação!


Reginaldo

Nenhum comentário:

Postar um comentário