terça-feira, 30 de dezembro de 2014

"ORÁCULO"


Falo de assuntos diversos,
pra tanto me assumo em versos,
na calada das noites sombrias,
me invento em poesias,
assim disperso em meu mundo,
mergulho profundo
da ilusão de poeta,
na cadência rítmica das mãos,
na tímida intensão,
de florir um deserto,
brotar na seca fonte,
jorrar dos olhos
o silêncio das palavras,
formar um lago nos pés,
refletir o rosto satisfeito
lumiar como lua cheia
na finitude das madrugadas,
antes do romper da alvorada,
descansar o lápis,
embalar o papel,
reverenciar o dia,
a passarada cantante,
o mugido do gado,
o cheiro do campo,
o pó das estradas
o chão batido
o leite tirado
o café fervido
o apartar os bezerros
o reconhecer os erros
abraçar a paz
e o que se faz
com tudo que se quis...
Sair do ostracismo
assumir meus avessos
meus contrários
e minha contravenção,
ser na discrição do rabisco,
o mais fino esboço de um ser
imperfeitamente Feliz.
Simples assim...
E dormir ao sol
que beija a vidraça,
quando a manha
se abre depois da névoa densa
e da cortina de fumaça.

Reginaldo

Nenhum comentário:

Postar um comentário