terça-feira, 9 de dezembro de 2014

"MUTILAÇÃO"


Estou preso nas sombras do pensar,
uma ferida aberta no peito,
evidencia a violação.

O som que ouve é silêncio,
as falas são mudas
os versos nulos.

Um corpo sem alma,
casca vazia,
um oco,um eco e o ócio.

Tudo remete pra fora,
tudo sair é pouco,
sufoco,fuga!

Trancaram por fora,
o tempo roubou a chave,
sonhar já não cabe.

Sangra liberdade do voo,
pássaro sem asas
saudoso de céu.

Mudo, já não canta,
não ouve,não encanta
amarga solidão.

Mas ainda vê luz,
embora mutilação,
não lhe roubaram a visão.

Ainda voa o olhar,
até que a noite caia!

Reginaldo


Nenhum comentário:

Postar um comentário