quarta-feira, 20 de agosto de 2014

"BROTANDO"



No silencio mudo da alma,
grito minhas loucuras,
longe dos teus ouvidos.

Não espero que entenda,
estas veredas e sendas,
abertas a papel e caneta.

São meros devaneios meus,
por pensar em você,
por querê-la mais que a mim.

Fizeste deserto teu sentir,
pálida todas as cores,
por não acreditar no amor.

Semeias por entre pedras,
encrustadas de solidão,
na poeira dos passos.

Enquanto jogo minhas palavras,
na vontade do vento,
em parear nossos rastros.

Querendo muito viçar
entre as pedras do teu peito,
no leito esquerdo da margem.

Reginaldo

Nenhum comentário:

Postar um comentário