sexta-feira, 15 de agosto de 2014

"A PASSAGEM"


Todos os dias,
a mesma imagem intrigante passava defronte aos olhos.
Indo pra lida sempre no mesmo horário,
nunca mudava o itinerário,por isso começou perceber
o quanto de melancolia,havia naquele rosto triste.

Já no auge da maturidade,beirando os oitenta,
só lhe restou de uma vida inteira,
o sol de graça,uma cadeira e um vazio pra conversar.
Todos os dias,o papo fluía no mais profundo silencio.

Cansado os olhos gritavam por atenção.
Até que um dia,avistou, o sol e a cadeira vazia,
tagarelava ao vento sozinho o silencio.

Ele cansado de tudo, cansou também da falta de graça,
desta vida insossa,destemperada sem o minimo de compaixão.

Agora resta uma vaga ao sol,este coitado trilhou outro norte,
por sorte encontrou a passagem,uma vala rasa,no campo santo,
para descansar a carcaça.

A morte foi sua guarida,sua chave para liberdade,
agora goza de do viço de outra jornada,muito mais longa e prazerosa,
encontrou o sentido pra tudo,agora tem a paz esperada.

O coração descompassou,parou pra todos que choram o protocolo,
enquanto ele ri satisfeito por ter a luz,que conduz a rota
do novo caminho.

Enfim só e feliz em plenitude,no jardim do destino,
voltou ser menino a correr pelo campo...

Livre de qualquer fardo,
descansou em paz!

Reginaldo

Nenhum comentário:

Postar um comentário