quarta-feira, 23 de abril de 2014

"O VOO DA BORBOLETA"



Segue voo a borboleta,
entre margaridas e violetas,
levando suave cheiro de saudade.

Sereno voo em delicadeza
pousa numa,beija outra,
enquanto sussurra,
sopra o vento sutilezas.

Suas asas meu silencio,
meu coração em seu bater,
vai contigo meus delírios
um sublime amanhecer.

Tua beleza aparente
disfarça fragilidade,
os olhos que te admiram
buscantes a felicidade.

Como pode?Tamanha beleza
sintetizada pequenez,
refletir oníricos desejos
ou quem sabe insensatez.

Farei então dos meus dias
um imenso jardim atraente
cores,sabores e vida
e um olhar inocente.

Voara além dos limites
deste campo em flor,
levando consigo ao vento
arautos do meu amor.

Que chegue aos olhos dela
isto que me encantou,
que seja receptiva
aos encantos deste voo.

Efêmero e eterno
instantes de infinitudes,
todo amor que couber
em sua plenitude.

O amor é voo de borboleta,
e amar é voar além do jardim,
abraçando o começo do sonho
ignorando a incerteza do fim.


Reginaldo


Nenhum comentário:

Postar um comentário