"COMO ÁGUA"



Um sopro passa 
espremido entre os dentes,
um assobio desafinado 
de uma alma em desalinho,

externando minha essência
em busca da luz.

Colho água pura,
molho o rosto,
mato a sede,
revitalizo meu caminhar.

Rego as flores da estrada,
retiro do verde o viço,
amparo,deparo e depuro,
passo pelo crivo ileso,
recolho vida.

Tenho pressa nenhuma,
a calma dita o ritmo,
cadencia os passos,
penso e passo.

Sou liquefeito,
sob efeito do belo despertar,
das lagrimas da noite,
que foi de acoite,
deixando o dia brilhar.

Me fiz água,
córrego,corredeira,
cascata e cachoeira,
me deixo correr entre margens,
beijando de passagem,
abraçando o delta que me espera,
no Mar sem fim...

Enfim Amar. 

Reginaldo 05/04/2014

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tributo a meu berço

"Flor Bebê"

Obra inacabada