quarta-feira, 30 de outubro de 2013

"INOCENTE"


NÃO SOU CULPADO,JURO...
APESAR DAS EVIDENCIAS!
ESTIVE SIM,
AQUI,
ALI,
E LÁ TAMBÉM...

MAS ISTO, NÃO PROVA NADA,
SOU MAIS UMA VITIMA,
DE SUA ARMAÇÕES,
SOU SEU REFÉM.

NÃO FUI EU QUE CRIOU ISTO!
CHEGA DE MÁRTIRES,
GANDHI,
KING,
DARC,
CRISTO.

CANSEI,NÃO ACEITAREI MAIS,
GANHEI VIDA PRÓPRIA...
AGORA TEREI MINHA AUTONOMIA.

BRINQUEDO,
PALHAÇO,
ESCRAVO,
CAPACHO,CHEGA...
O BONECO AGORA VIVE.

ASSUMA SUA CULPA
E NÃO ME ACUSES MAIS.



"KAMA-SUTRA"




,
Existe entre nós uma cumplicidade,
uma razão pro meu silencio...
Simbiose mutua,
sussurros e gemidos abafados.

Emudeço,com olhares
que  dizem tudo,
finjo não ver as desconexões
dos sentidos.

Adoro sentir o gosto
do seu toque em minha boca,
quando percebo seus dedos loucos,
tateando meu rosto.

Cheiro de pecado,
exalado em suor,
exilados do lado de dentro do quarto.

Não tem sentido o amor,
se não for pra amar,
se perder e se encontrar
no cio da madrugada.

De novo estou ao seu prazer,
lençóis desarrumados,
corpo em chamas,
cama...

Kama-Sutra na cabeceira! 


Reginaldo   31/10/2013


terça-feira, 29 de outubro de 2013

"CASA MATA"


Vastidão,
olhar buscante na imensidão...

Cordilheira ao fundo,
céu cinzento e nervoso,
solo seco ,sol a pino
e um mar profundo.

Encontra meus olhos
o que não foi buscar,
Uma casa mata
a beira mar,
O tempo fez revelar.

Segredos e utopias
vidas ,verdes, odores,
água doce pra sede,
sedução e amores.

Sobre os escombros,
um olhar de soslaio,
linda,desnuda da
mente um pré-juízo.

Decifrei o enigma,
esta casa mata,
escondia o que me roubaram...

De paraíso!

Reginaldo 29/10/2013

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

"FONTE SECA"




QUANDO MEU CHORO,
NÃO CAIR MAIS SOBRE A TERRA,
HA DE SABER QUE A TERRA JÁ
SE FEZ SOBRE MIM.

SERÁ O FIM?

NÃO SEI DIZER...

MUITOS PARTIRAM,
NO VÃO DE UM INSTANTE,
DEIXANDO O PEITO CHEIO DE VAZIO.

A VIDA FARTA,
DE REPENTE FALTA,
QUANDO ENCONTRAMOS
A DAMA DAS SOMBRAS.

NUM ESTALO,
CEIFA-NOS O TALO,
DE ONDE PROVEM A FONTE,
QUE JORRA LAGRIMAS.

AGORA SOMOS POEIRA SECA
A POVOAR A SAUDADE DE ALGUNS...

QUE CHORAM LAGRIMAS,
QUE MOLHAM A TERRA!


Reginaldo   28/10/2013

sábado, 26 de outubro de 2013

"TOLICE"




Atravessastes desertos sombrios,
noites escuras,
sem o clarão da lua.

Já dormistes nos bancos da praça,
acordastes dentro de sarjetas, 
mais mesmo assim,
chegastes até aqui!

Disfarçastes na luz do dia,
se refazia rápido
dos pesadelos.

Quem olhasse para ti,
diria que chegara de sonhos,
de sonhos paradisíacos.

Tamanho era o esforço
pra se mostrar bem,
pra dissimular,
mentir...

Pra si mesmo!

Pois sua aura era negra,
tristonha,sem luz...
Como as noites que atravessara!

Mais chegastes até aqui!

Se a noite não te foi companheira,
um conselho...

Roube a luz do dia,
sua efêmera alegria,
sonhe acordado.

Olhe pro lado,
abrace uma arvore,
fale com as flores!

Acenda sua luz,
não se engane mais!

Grite,cante,voe!

Reginaldo 26/10/2013

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

"PALAVRAS AO VENTO"




Alma presa,

palavras impressas,
meio com pressa,
Feita prisioneira 
em uma gaveta.

Que idiota,
as gavetas não sabem ler!

Até que um dia,
depois do sol da tarde,
cansado, com pressa,
deixou-a semi aberta.

Abriu caminho pra luz
que fartava aqui fora.

Voaram livres as palavras,
para além da escrivaninha,
pousaram na sensibilidade de iguais,
deixaram de ser escrava minha.

Ganhou asas,o céu,
de carona no vento,
voou aliviada,
palavras agora...

São asas alforriadas.

Reginaldo 25/10/2013

"LIVRE PRA VOAR"

Quero falar de;
Ausências,
de carências
de fluências,
de dependência ,
de essências...

Enfim,
de quantos"ências",
você tiver ciência.

Preciso me ater,
a certos sentimentos
para aprender,
pra ser!

Preciso olhar por cima do muro,
pular no passeio,
atravessar a rua.

Sentar no banco da praça,
onde sem graça eu me encontro!

Conversar comigo ,
sobre essas ausências sentidas.

Saber onde está todo mundo,
descobrir onde eu estava
esse tempo todo.

Ainda espero não ser tarde,
liberto desses grilhões,
que me prendiam aqui dentro...

Rever,viver e voar!


Reginaldo   25/10/2013

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

"QUEBRANDO A ROTINA"

EXISTE VIDA,
ALÉM DOS MUROS
DESTE VIL VIVER?

ACHO QUE SIM,
AS VEZES CHEGO
SENTIR O CHEIRO DE FORA.

UM DIA PULSARÁ,
DISTANTE UM CORAÇÃO
LONGE DESTAS AMARRAS.

VAI NAVEGAR
NOUTROS MARES,
FLUTUAR NOUTROS ARES,
VIAJAR...

AINDA EM TEMPO,
FUGIR PELA JANELA,
ESSA ABERTA AI NA FRENTE.

VAI BUSCAR
O AR QUE TE FALTA,
PRA ALEM DESTE QUE QUER TE LEVAR.

SAI DESTE TEU MUNDO,
POE A CARA PRA FORA,
EXISTE VIDA ALEM DESTES MUROS...

AGORA RESPIRA...
AR PURO DE LIBERDADE!

"AMIGO DO VENTO"

SOB O EFEITO NOSTÁLGICO,
DE UM VENTO AMIGO QUE ME VARREU,
DESFOLHEI UM ÁLBUM ANTIGO,
COM FOTOGRAFIAS DOS TEMPOS IDOS.

PERCEBI QUE ALI,
NO AUGE DA JUVENTUDE,
HAVIA MUITO A CORRER,
NUM MUNDO DE PLENITUDE.

OS OLHOS VIVOS LÁ ADIANTE,
DE OLHO NO FUTURO,
INTRÉPIDO E BUSCANTE,
IMPETUOSO ...
CONTAGIANTE.

AÍ,ENCONTREI A MARGEM
DO CAMINHO,UMA FLOR
ENTRE OS ESPINHOS.

ME ENCANTEI POR ELA,
JUREI CUIDA-LA,
LIVRA´LA DE QUALQUER MAZELA.

APANHEI NOUTRO CANTEIRO,
ENTÃO UMA MARGARIDA,
COMECEI O BEM ME QUER.

O VENTO ME SOPRAVA NO OUVIDO,
QUE ESSA NÃO SERIA PARA MIM...
MAIS AGORA É.







"DESEJO"

APRENDER COM AS  FLORES,
A SUPERAR AS DORES,
A OUVIR AS PEDRAS
(DO MANOEL DE BARROS).

A VOAR FORA DAS ASAS,
DE CARONA COM O POETA
(SAMUEL MOURA DE BRITO),
E AÍ APRENDER QUE O
SILENCIO PODE SER UM GRITO.

(SILVANA MENDES)
COM QUEM TENHO
O PRIVILÉGIO DO CONVÍVIO,
ME FEZ SABER QUE POLARIDADES,
SÃO APENAS FORMAS
DE EQUILIBRAR A TAL FELICIDADE.

FELIZ ESTOU POR ENCONTRAR
(CECÍLIA MEIRELES),
LEVADA POR OUTRA POETA,
A OUTROS CANTOS DE ARTE,
NA PELE DE (CAI DUARTE).

ESCREVER ENTÃO É O QUE RESTA,
CERCADO PELA POESIA,
POSSO DIZER...

"NÃO SOU ALEGRE,NEM TRISTE,
SOU POETA"



Reginaldo

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

"NÃO TEM SENTIDO"

Tato,
se foi o carinho,
as carícias.
Nem no olfato,
o cheiro
de você ficou...
Isso é fato!
A doce vida,
ao seu lado...
Amargou!
Não tem mais sentido.
Quem só tinha olhos pra ti,
só enxerga saudade,
só lembranças.
Não estava preparado,
pra solidão.
Pra essa escuridão que se fez,
pra  esse vazio repleto de
ausências.

"QUISERA TER"

"QUISERA TER"

Lira na fala,
delírio na calma,
afago das palmas,
lírios na alma.

assim desnudo...
Ambicionar,
sonhar,
desejar.

Escrever pra ela,
a mais bela menção.
No ar,
no mar,
no chão.

Aí, de conluio com o vento,
Soprar o rosto dela,
acarinhar como
um toque suave das mãos.

Reginaldo 23/10/2013

terça-feira, 22 de outubro de 2013

"CERNE"


"CERNE"

SOU MADEIRA
TRONCO OCO,
MORADA DO NADA.

CARREGO NO CORPO
OS NÓS DO PINHO
VERMELHO VINHO.

ONDE A SEIVA ESCORRE,
AS FOLHAS FORREM,
O CHÃO COLOREM.

OS GALHOS DOBREM,
COM O TEMPO TOMBAM
E NADA SOBREM.

POIS NO FIM, TODOS
ATÉ MESMO OS TRONCOS...

MORREM!

Reginaldo 22/10/2013

sábado, 19 de outubro de 2013

"ENTRE SORVENCIAS E SORVETES"



SORVO E ABSORVO
ENTRE DESATINOS E ESTORVOS,
OBLÍQUO DESEJAR,
SABOREAR, DEGUSTAR,
COM UM POUCO DE ÁGUA E AR,
ESSA VIDA NA DOSE CERTA,
QUE UM DIA VAI ME MATAR!

DECLINO ENTÃO SOB VONTADES,
ÂNSIA DE QUERER IR ALÉM,
ATRAVESSAR O QUE RESTA DE CALÇADA,
IR ATÉ A BANCA DO SORVETEIRO,
PERTO DA IGREJA DO ROSÁRIO,
EMBAIXO DO ABACATEIRO.

ALI JÁ NO ULTIMO SUSPIRO,
GRITAR QUE QUERO DE MORANGO,
COM COBERTURA DE CARAMELO,
BEM DOCE!
DEPOIS DEITAR NA SOMBRA,
TIRAR UMA SONECA ,
SONHAR COM NUVENS 
DE ALGODÃO DOCE,
 AZUIS.

QUEM SABE AI COMO SORVETE,
IR DERRETENDO,ESCORRENDO...
CORRENDO E FUGINDO 
DA PRÓPRIA SORTE,
POSSA QUEM SABE
SABOREAR MENOS AMARGO
O GOSTO FRIO DA MORTE!

Reginaldo

"PALAVRAS ALADAS"

Falta sensibilidade
no ouvir e escutar...
Fartam palavras,
que escorrem dos olhos,
loucas pra gritar.

Suavidade nos passos,
cautela ao pisar,
coreografia e arte,
ainda por acabar.

Pintei de rosa
o negrume da vida
cobri com betume
pra dar ar de velhice.

Agora asas tenho,
pernas não me servem mais,
serei amigo dos seres alados.

As palavras que escapam dos olhos
viram colibris multicor,
voam ao sabor do vento
a procura de uma flor,

Pousam suaves, serenos
nos galhos recém brotados
ali encontram acalanto
ali se sentem abraçados,
queridos,
Amados!


                                                                                                                                                                Reginaldo

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

"VENTO DE OUTRA ESTAÇÃO"



"VENTO DE OUTRA ESTAÇÃO"

Um vento sorrateiro,
manso e zombeteiro.

Moleque!

Fez traquinagem,
depois da aragem,
junto ao sol da tardinha.

Veio lento,leve,
como a um lenço
azul de seda bordado.

Soprou com delicadeza,
descobriu o rosto da menina,
escondido atrás do cabelo.

Escancarou a beleza ,
aquela rosa em botão,
começara despertar 
pra outra estação.

Ingenua,aceitava
as caricias do vento,
que lhe tocava
a maça do rosto.
Revelando um talento 
nato pra sedução.

Esse vento traquinas,
ao tempo desvendou
o segredo do jardim.

Este vento sorrateiro
que não sabe 
guardar segredo, 
espalhou por ai...

Naquela tarde a perder,
botão menina se foi,
desabrochou rosa aberta,
mulher pronta a colher.


Reginaldo














quinta-feira, 17 de outubro de 2013

"SELF SERVICE"



A Vida é um banquete,
servido em pequenas porções!
Sempre self service,
respeitando o livre arbítrio
e o tamanho do apetite
de cada um.
Coma sempre
porções de boa companhia,
de bons amigos,
bons papos,
influências,
palavras doces,
felicidades...
Desta forma terás a sensação
de infinitude ante a impermanência
constante.
Imortalizara pra sempre
um finito instante.
Mesmo que lhe seja oferecido 
só uma pequena porção!


Reginaldo

 

terça-feira, 15 de outubro de 2013

"VOO LIVRE"




Voou...

Pela fresta da janela,
que se abria para serra,
viu a mata virgem intacta,
a cascata que despenca,
as encostas,
as avencas.

O Aroma sentiu vivo,
o cheiro úmido de pinho,
que chegava com a brisa
suave as narinas.

Janela da alma,
lhe saltou aos olhos,
não resistiu,se entregou,
ao voo livre,
ao sonhar,
pra nunca mais acordar!

Foi ver o mar alem da cordilheira,
esse que roubava furtivo 
o verde da mata,
que ora molha os olhos
de quem ficou,
num pranto saudoso de "Adeus".

O Destino o conduziu,
para um voo perene,
não tem mais chuva,nem frio,
estais liberto na vastidão do estio.

Agora em outro plano recita,
nada lhe é estranho,
sois por hora o próprio sonho,
meu caro amigo...
Wilson Caritta.

                        (Com o coração apertado,espremi essas palavras a ti,fica com Deus Poeta!) 

                                                                Reginaldo 15/10/2013 

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

"PRELUDIO FINAL"



"PRELUDIO FINAL"

Cenário de sonhos,
figurino perfeito
névoa fina,
estava feito.

Musica das sombras,
som da despedida,
baila o ultimo ato,
hora da partida.

Cheia de malemolência,
de charme e sedução,
ela conduziu os passos
no teatro da escuridão.

Dois pra lá,dois pra cá,
como se fosse valsa,
entrelaçado,lança, 
compasso e dança. 

Braços dados,
fomos passando
na harmonia dos dias,
ela foi me levando.

Abismo eterno
não era sina,
nem sorte,
era minha hora...

" De dançar com morte"

Reginaldo

sábado, 12 de outubro de 2013

"DISSIMULOU"



DISFARÇOU,
DESVIOU,
DE SOSLAIO  ME OLHOU!

DESCONFIOU,
MURMUROU,
BAIXINHO DE CANTO DE BOCA!

ENCORAJOU,
FITOU,
ENCAROU COMO NUNCA FIZERA!

TRANSBORDOU,
ESPARRAMOU,
NUM ABRAÇO ENTRELAÇOU!

CLAREOU,
LUZIU,
ENTREGOU-SE AO AMOR!

AGORA...
ANCORA,
SEU BARCO NO PORTO SEGURO!

PRESENTE,
PASSADO RECENTE,
MEMÓRIA.

HISTÓRIA DE NOS DOIS,
ACABA DE SAIR DO ESCURO,
COM ARES DE FUTURO.

                                                                                                 Reginaldo


"TERRA DO NUNCA...MAIS"




A Noite trouxe uma doce ilusão,
o sono profundo,
buscou no fundo
o sonho mais infantil
que tivesse no estoque.

Foi um fascinante viagem,
mostrei a passagem,
embarquei nas asas imaginação.

Voltei aos tempos
de escola,
do jogo de bola,
da peteca,
da bola de gude...

Criança cheia de desejos,
vontades e saudade
do que o tempo levou.

Foi a noite ,veio o dia,
ficaram suspensos,
exilados na penumbra,
sonhos que insistem
em permanecer,
na retina deste Adulto.

Por imposição do tempo.  

Agora tento sonhar,
pra além deste lugar,
longe das horas do dia,
com olho no horizonte.

Na busca daquela criança,
da lira,
da poesia,
da juventude...A fonte.

Reginaldo

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

"CONVERSA DESCONEXA COM MEU REFLEXO"


"CONVERSA DESCONEXA COM MEU REFLEXO"

Alguém certa vez,
tentou me mostrar a verdade.
Duvidei! 
Questionei!  
Seria a verdade uma mentira bem contada?
Não existe resposta pronta,
nem certeza absoluta.
Tudo é o que é,
completamente imperfeito!
E o pior é que gostamos assim,
do imaturo,
do incompleto,
da falta,
do vir a ser!
Afinal o que alimenta mesmo a esperança?
Não é do que pode acontecer depois?
Deliro com o não sei,
e das portas que se abrem
 expondo nossa interioridade.
Gosto de sentir a felicidade
da lagrima solitária,
que escapa ante a satisfação!
Tomei gosto pelo pouco que me basta,
desgosto pelo anseio que sufoca.
Gosto mesmo é da rotina,
da repetição diária,
da vida imutável!
Tudo igual ,
todo dia,
e ainda assim,
não aprendo viver!
Mais vou tentando!
tentando...



Reginaldo

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

"DESEJO INSANO"



Jogar do penhasco,
descer o abismo,
la no fundo,
fazer barulho!

Tirar o teu sono,
roubar tua paz,
levar teu sossego,
te encher de medo.

Esse será o segredo
revelado aos dedos,
quero só atenção,
carinho , proteção.

Fiz de você meu precipício,
quero me jogar,
mais ainda não aprendi voar.

Tenho medo de não encontrar 
seus braços a me esperar,
mais uma hora eu pulo pra dentro de ti.

Aí,ai de mim!

Voo rasante,
as cegas,
destino,enfim!

Reginaldo

"ENCONTRO"



Duas auras distintas,
dois mundos distantes.
Uma crescida,
inclusa,
cansado,
semblante pesado,
não consegue levitar,
reclusa!

Outra ,travestida de esperança,
solta,
leve,
saia rodada,
usa trança,
é o próprio voar,
Uma criança.

Esta criança é saudade,
dos idos que chegou sem avisar,
esquecida a margem do caminho.

Duas almas perdidas,
meio anjo ,meio homem
agora se fundem.

Polaridades equilibradas
Completude!


Reginaldo