domingo, 8 de novembro de 2015

=UM CORPO PARA O POEMA=


HA UM TANTO DE TI,
DENTRO DOS MEUS VERSOS.
NOS AVESSOS DO TEU OLHAR,
ONDE ATRAVESSO DE CABEÇA BAIXO.
MEU SILÊNCIO SE DECLARA TÍMIDO,
A BOCA SECA NÃO DIZ NADA,
DO CORAÇÃO AFLITO
QUERENDO SALTAR DO PEITO.
NÃO TEM JEITO,MEU DEFEITO
É AMAR-TE ALÉM DAS FORÇAS,
MUITO MAIS QUE A MIM,
MUITO ALÉM DO JARDIM...
MEU DILEMA É TER O POEMA,
A PALAVRA TERNA,DOCE...
MAS A ALMA PERDE A CALMA
ONDE É GUERRA SEM TRÉGUA!
É O AMOR A MAIS ARDILOSO
SENTIR,IMPONDO OPOSIÇÃO,
UM FEITIÇO AO TEMPO
DE UMA PAIXÃO...
ENTRINCHEIRADO NAS VALAS VÃS DAS PALAVRAS,
ONDE DISCURSO IMPROPÉRIOS,
BLASFEMO CONTRA A DISTANCIA,
QUE TE AFASTAS DE MIM NOS MEUS DESENCONTROS...
IMPEDINDO TEUS OLHOS ATURDIDOS,
DE ME ENCARAR A REVELIA...
QUEM SABE UM DIA
DÊ CORPO A MINHA POESIA!
Jose Regí

Nenhum comentário:

Postar um comentário