quarta-feira, 11 de novembro de 2015

=Dualidade=





Amanheceu...
Então se viu belo voo sobre as calêndulas,
quicando no bulbo das flores,
com toques suaves de sutilezas,
sobre a luz de suas dores....

Azul...
Teus olhos claros de céu,
refletia o externo luzido,
enquanto ardiloso destino
tramava os seus sentidos.

Amargo...
Esta doçura resplandecente
era o ser aparente que as asas,
queriam mostrar,o lado oculto do ser
era um tanto crepuscular...

Em tempo...
caia a noite,
cabisbaixo e olho esguio,
decifrara a linha do equador,
onde habitava seus vazios.

De repente...
Os voos de Adélia Prado,Drummond,
os lusíadas de Camões,a sombra dominou...
A noites é das mariposas,dos morcegos,
e dos corvos de Allan Poe!

Jose Regí Poesia

Nenhum comentário:

Postar um comentário