sábado, 3 de outubro de 2015

"Ecos d'Alma"




Na calada da noite,ela fala...
No mais profundo silêncio ela grita
e só eu ouço...

Assim o velho se faz moço,
o abismo em raso poço,
e a água vai sem correria,
umedecer os olhos...

Cascateando sobre o rosto,
vai levando as cicatrizes,
ocultando segredos á flor da pele
e lavando a alma!

Ouço o clarear da Lua,
banhando as estradas,
apontando o caminho
nos confins da escuridão.

Eu mudo e calado,
em um mundo fechado de utopias,
colho do alumiar o chão,
o canto lírico da Poesia!

  Jose Regí

Nenhum comentário:

Postar um comentário