terça-feira, 8 de setembro de 2015

"VOOS NOTURNOS"






O negro manto da noite estende-se sobre teu sono,
espanta os maus agouros,os corvos,os pássaros perdidos,
nos teus sonhos...

Entrega-se ao deleite da cama,
o corpo se funde ao silêncio,imóvel,inerte,
se rende ao cansaço de quase morte...

Delira no inconsciente profundo,
vaga longe do quarto,das trevas,da escuridão,
atravessa o portal da ilusão.

Agora perambula sobre um jardim de cores vivas,
molha os pés no regato limpído,sereno,
voa livre do fardo sem pensar em finitude.

Encontra um velho moinho,
sedento de vento,abastado de tempo pretérito,
se vê na sombra da ruína,ainda em construção.

Ouve ao longe o canto do galo,
sente um calafrio lhe subir os sentidos,
desperta aos poucos,dos devaneios...

A noite recolhe seu manto,se veste de amanhecer,
devolve-lhe o rudez de uma vida pesada,
e lhe oferta o dia nu,sem nenhuma proteção.

Jose Regi Poesia

Nenhum comentário:

Postar um comentário