terça-feira, 8 de setembro de 2015

"ALFAIATE"






Colhe do tempo,Lagrimas,
gotas que o destino discorre,
remenda na colcha de retalhos
os mistérios de seu rosário.

Reza sozinho,
Sussurra teus silêncios
Chora sobre o tecido,
o pobre do alfaiate.

A Agulha é tua espada,
Cerzindo gotas de orvalho,
com linhas do pensar.
ponteia mistérios.

As águas lavam alma,
levam calma e frescor,
a vida,enquanto soluça
teus arremates!

Jose Regi Poesia


Nenhum comentário:

Postar um comentário