quarta-feira, 5 de agosto de 2015

"FIM DA LINHA"






Na boca,espinhos,
palavras amargas no limbo da Língua.
No ouvido ,sussurros,
incontidos segredos por

No nariz,o perfume,
que o vento mesquinho trouxe de ciúme.
Nos olhos,o caminho,
mal traçado,tortuoso e sombrio!

Nas mãos a impossibilidade,do toque,
as lonjuras,as distâncias...
Nas pernas a vontade de ir,
andar a ermo,andarilhar...

Na cabeça os sonhos de um corpo
que não voa...
O abismo se mostra atraente,
o céu convida,
o chão abre os braços,
o grito não sai antes do salto...

Então veste-se de nuvem,
leveza se impõe,
decifra o código do portal,
e se alça em voo...

Rompe as mordaças espinhosas
o amargor,a surdez,
todas as impossibilidades se desfaz
quando o sonho se incompleta...

Na imperfeição ele tenta,
o amor não acaba nunca...

Se reinventa!

Jose Regi Poesia

Nenhum comentário:

Postar um comentário