quinta-feira, 16 de abril de 2015

"VOO PRESO"



Quando pedras voam,
é impulso de menino,
é bodoque,é estilingue
é lançar-se ao destino...

É dor no peito do passarinho
que não pode mais voar,
pousa triste sobre o chão,
seu olhar depurador!

Pássaro de chão,
que perdeu asas pro menino,
com o bodoque nas mãos.

Agora canto de estimação,
Preso em gaiola sem porta,
o mundo é sua prisão!

Alma de silêncio,
grito sem eco ação,
sem efeito.

Seu defeito foi desaprender voar!

Pobre desatino,
era voo pleno o passarinho,
se desfez das asas pela pedra do menino!

Reginaldo

Nenhum comentário:

Postar um comentário