sexta-feira, 12 de setembro de 2014

"MEMÓRIAS DE UMA SOMBRA "



Um corpo 
entre a massa,
desnudo de cor,
silhueta ignorada,
uma sombra...

Oculta vivacidade,
nos recônditos da iris.
Rompe o cinza
do tempo lá fora,
busca não ficar invisível,
sob o nevoeiro matinal.

Certo de sua rutilância,
resiliente o corpo
não desassombra.

Vê dissipar o viço,
não deseja que seja,
ainda que será...

Memoria,
lembrança
sombra de uma saudade,
que perdeu o corpo
num buraco do caminho!


Reginaldo

Nenhum comentário:

Postar um comentário