quinta-feira, 11 de setembro de 2014

"JARDIM DE INVERNO"




SOBRAM PALAVRAS,
QUE A BOCA NÃO DIZ,
QUE OS OLHOS NÃO MOSTRAM,
QUE AS MÃOS NÃO DÃO CONTA DE ESCREVER...

SOBRAM RESTOS DE SILENCIO,
SOLTOS NO ESTIO DESTE SER,
FLORESCE MUDAS DE NADA,
AINDA SIM CALADAS.

O JARDIM HIBERNOU,
FAZ FRIO QUE ARDE ALMA,
TEM ESCURO E SOMBRA
AS MARGENS DESTE CURSO.

VEREDAS DESTINO.
CAMINHOS LONGOS DE FINITUDE,
BROTOS AMIÚDE
ECLODEM ATEMPORAL.

FALTAM OUVIDOS,
FALTAM SENTIDOS,
FALTAM CALMARIAS,
ONDE SOBRAM POESIAS.

Reginaldo



Nenhum comentário:

Postar um comentário