domingo, 4 de janeiro de 2015

"UM SOPRO"

Toda navalha da língua,
Todo corte na carne,
Toda voz o silêncio,
Todo olhar profundo,
Toda alma aflita,
Toda serenidade louca,
Todo perfume exalado,
Todo vento espalhador,
Todo tempo esvanecido,
Toda réstia de dia,
Todo manto da noite,
Todo sentir calor,
Tudo do todo,
Ter o máximo do minimo,
Todo nada que juntar
Tudo ser,
Tudo crer
Tudo poder...Amar


Reginaldo

Nenhum comentário:

Postar um comentário