segunda-feira, 13 de maio de 2013

"RUAS NUAS"





Estava na rua nua,
sem calma,nem alma.
Longe da flora e da fauna,
no deserto de mim mesmo.

Faltou a luz que não peguei,
que não busquei,
que não enxerguei.

Sigo a tua luz,
por estradas escuras,
por ruas nuas;
de qualquer sentir.

Estradas sem margens,
sem beiras, sem sombras,
não ha luz...

Sinto que o que sinto,
minto pra mim...
A verdade é uma incógnita

Entre o medo e o pavor,
a exata ausência tua,
em frente...
Nesta estrada nua.

Reginaldo

2 comentários:

  1. Confio na luz da lua. Íntima e potente.

    Beijos,

    ResponderExcluir
  2. vestir as palavras com a nudez da pele: Sentir!!

    Lindo espaço, Reginaldo!

    abraço de lira!!

    ResponderExcluir