sexta-feira, 24 de maio de 2013

"PESADELO"




Só na multidão,
sedento pela luz, 
de além da escuridão.

Ontem me era uma visão,
hoje o tenho nas mãos,
amanha só na imaginação.

O ciclo que se fecha,
não deixa brecha,
vão ou fresta...
Nada é evidente.

A certeza do agora... 
Apavora, espanta,
até que o momento seguinte...
Desponta.

Suave como a bruma
que permeia este ser...
Incrédulo.

Atravesso as sombras,
a penumbra no fim da noite,
vislumbro outro dia.

Abro de novo os olhos,
O vale das trevas era
só um sonho ruim.

Acabou!

Um comentário: