terça-feira, 21 de maio de 2013

"A IDOLATRIA DO SILENCIO"


                           


"A IDOLATRIA DO SILENCIO"

Em nossas prosas já morri e voltei,
mas sempre trazendo ramos daquela terra,
vezes Tártaro,
vezes Elísio,
mas nunca pagão,
pois sempre sacro o retorno é.

Eu sempre estive aqui, as vezes só estou ocupado.
Houve tempos em que queria apenas brincar e amar.
Hoje tenho poemas,
cálculos,
quarks,
pão,
lavar louças,
varrer casa,
paixões,
amigos,
família,
reclamações,
cobrança,
stress,
um mundo de merda...

As vezes dá tempo pra amar,
perdoar,
dialogar,
falar...

Descendo dos pés do altar, quase caí, pois não devia descer.
Essas obrigações são suporte para salvação, vencer.
A vida,
o mundo...

As pessoas falam em felicidade sem sofrimento:
UTOPIA!
O sofrimento nos leva ao paraíso,
não há justificativa para à falta de amor e atenção...

Há motivos:

Reginaldo

Um comentário:

  1. A quem muito é dado,muito será cobrado,a lã não pesa para o carneiro...

    ResponderExcluir