terça-feira, 14 de julho de 2015

"VOLÚPIA"





Me atacou como nunca,
se atracou em meu corpo,
se alojou em meu colo,
me beijou como louca...

Nossas bocas se fundiram,
na ilusão de um beijo
de um profundo silêncio
e desejo!

Os olhos falavam de saudade,
com tanta verdade que molhavam
a secura do tempo.

O corpo num frenesi de arrepios,
calafrios de ausências,
se esbaldavam em apertos e toques.

Nem uma palavra dita
depois do abraço
e o calor afaga do frio,
onde o sussurro habita.

Era triste meu viver,
Era deserto e inverno
meu jardim hibernado,
agora floriu em cores avivadas!

O amargo da boca,adoçou,
o céu se abriu depois da noite,
e a lua é mel no café da manha!

Junto a rotina está de novo
o amor de volta a mesa,
e um mundo preste a me devorar!

Jose Regi Poesia

Nenhum comentário:

Postar um comentário